Marilda Martins Monteiro - Funcionária Pública aposentada

Nasceu em São Paulo (SP), em 1930. O pai era advogado da Light. Formada em Ciências Sociais, Letras e Pedagogia, lecionou em Vitória (ES) e em São Paulo. Aposentou-se como assessora na EMPLASA -  Empresa de Planejamento de São Paulo.

"Eu nasci e vivi em São Paulo num tempo em que a cidade era muito diferente do que é hoje. Nós tínhamos uma casa na Haddock Lobo, entre a Lorena e a Oscar Freire, e de lá mudamos para outra residência no Jardim Paulistano, naquele bico da Groelândia com a Polônia, onde eu fiquei por 46 anos. Eu sempre fui muito ativa e gostava de estudar, tanto que fiz cursos na USP: primeiro Letras e depois Ciências Sociais, em 1949. Neste último, fui colega de classe do Fernando Henrique e da Ruth. Na USP, eu saí daquele mundo pequenininho, restrito em que eu vivia, e me tornei uma pessoa mais consciente e politizada. Depois, ainda fui lecionar em Vitória e, de novo, aqui em São Paulo, onde também fui funcionária do Estado.

Minha família tem, pelo menos desde 1876, uma tradição curiosa que é a da paixão por aparelhos eletrônicos. Isso vem desde o meu avô, Tito, que teve uma oportunidade rara para a época. Ele morava em Resende, numa fazenda de café, e graças a isso pôde visitar a grande exposição do Centenário dos Estados Unidos. Lá ele ficou fascinado com aparelhos que eram a última palavra em termos de tecnologia, como, por exemplo, o telefone do Thomas Edison, o pára-raio, uma série de coisas. Por conta dessa paixão do meu avô, a cidade de Resende teve a honra de possuir um aparelho de telefone antes mesmo de São Paulo. Atualmente, eu posso ser considerada uma espécie de continuadora dessa tradição. Além dos aparelhos comuns - liquidificador, batedeira, ferro -, eu tenho máquina de fazer pão, máquina de moer café, iogurteira, faca elétrica, cobertor elétrico, cadeira de massagem; o meu computador tem scanner, tudo. Antigamente, eu tinha que comprar essas coisas fora, nos Estados Unidos, mas agora posso comprar quase tudo nacional, a maioria das coisas eu encontro aqui mesmo."

>> Este depoimento é parte integrante da exposição comemorativa dos 50 anos do BNDES, realizada na sede do Banco no Rio de Janeiro. A mostra, organizada pelo Museu da Pessoa, reúne histórias de um grande número de brasileiros que tiveram sua vida transformada pela ação do BNDES.



Outras:
. Raí - Diretor da Fundação Gol de Letra.
. NILDEMAR SECCHES - Ex-Diretor do BNDES
. Isac Zagury - Diretor do BNDES.
. FERNANDO PERRONE, ex-Diretor do BNDES e Sérgio Besserman, presidente do IBGE.
. EDUARDO MODIANO, ex-Presidente do BNDES
. Oscar José Gonçalves - Produtor cultural e Diretor de Artes Cênicas e Música da FUNARJ
. Sérgio Soares de Almeida - Entregador de Pizza na Rocinha (RJ)
. Ricardo Pinto Nogueira - Superintendente Bovespa
. Oldemar Alonso Cordeiro - Ferroviário Aposentado
. Marilda Martins Monteiro - Funcionária Pública aposentada
. Maria Pedroso Marcommim - Agricultora Paranaense
. José Benedeti Marcommim - Agricultor em Santa Terezinha de Itaipu (PR)
. João Bosco - Fotógrafo
. Gezo Rodrigues de Almeida - Produtor rural em Goiás
. Francisco Plácido Henriques - Gráfico paraibano
. Dora Isabel do Araújo Andrade - Fundadora da ONG Edisca
. Ademir Sebastião Longatti - Pároco em Tiradentes (MG)
. Henrique Morelenbaum - Maestro e professor
. Mauro Thibau, Ministro de Minas e Energia no período de 1964 a 1967
. Márcio Fortes - Ex-presidente do BNDES
. Lula Vieira, Publicitário, um dos diretores da V&S Comunicações
. Depoimentos sobre a desestatização
. Eleazar de Carvalho Filho - Presidente do BNDES
. Henrique Lessa - Caminhoneiro
. Rachel de Queiroz - Escritora
. Depoimentos Diversos
Projeto Memória / 1982